Igreja Sião

Posted on 09/06/2007

0


por Irene Barreto

A humanidade tem, cada vez mais, buscado caminhos para solução dos seus problemas. Por conta disso, as igrejas estão cada vez mais lotadas de fieis exercitando sua fé, procurando praticar uma caminhada religiosa para que assim possam alcançar um equilíbrio emocional satisfatório. Atualmente, na Bahia, há uma grande variedade de Igrejas evangélicas espalhadas por todos os bairros. A Igreja Batista Sião, no Campo Grande, centro de Salvador, uma das mais tradicionais igrejas do segmento evangélico batista é um exemplo básico disso. Ao passar pela Praça Dois de Julho, é impossível não notar o templo, uma construção de grande porte localizada ao lado do Teatro Castro Alves. Após um lance de escadas, o visitante encontra o salão principal, com capacidade para aproximadamente 2.600 pessoas. Um ambiente bem arejado, com decoração simples, porém harmoniosa. Os vidros das janelas laterais têm cores vivas, já os tons usados nas paredes e portas são o marrom escuro contrastando com o claro. Do lado direito, ficam 45 salas distribuídas por um largo corredor, onde funcionam a escola, o bazar, a sala de reunião, cantina, sala do pastor e outros departamentos.

Fundada em 17 de abril de 1936 pelo missionário norte-americano M.G.White, funcionava na Avenida Joana Angélica, em seguida passando a ocupar a sala de aula da Escola Kate White, no Campo Grande. A igreja passou por muitas dificuldades até a construção do santuário atual. O primeiro foi inaugurado em cinco de março de 1949 e o segundo, em 12 de dezembro de 1959. Mais tarde surgiu a necessidade de um ambiente maior, devido ao crescimento da procura pela população. Para a construção do atual templo foi necessária a venda da casa onde funcionavam suas instalações, passando a igreja a funcionar nas dependências do Colégio Dois de Julho até o término da propriedade atual. Tudo isso aconteceu sob a presidência do pastor Valdívio de Oliveira Coelho, já falecido.

Os evangélicos levam a prática da fé a sério e, ao contrário do que se pensa, os fiéis são convertidos de forma espontânea – ou seja, escolheram aderir a uma religião por conta própria, por isso, tendem a se tornar militantes da causa, envolvendo-se nos cultos e nas atividades comunitárias desenvolvidas em torno dos templos que freqüentam. Segundo Walter Santos Baptista, o atual pastor presidente, a IBS é uma igreja que está alicerçada em cinco pilares: adoração, ministério, ensino, evangelismo e consciência social. “Através desta base sólida, a IBS traz como proposta primordial ser um igreja compromissada com a Palavra e com o próprio Deus, cujo objetivo central é alcançar pessoas para Cristo, ensinando-as a serem maduras na fé, equipadas para seus ministérios, visando a glória de Deus”, ressalta o pastor.

Além da preocupação com a pregação do evangelho, a IBS possui vários trabalhos sociais. Em uma de suas salas funciona, diariamente, um bazar que vende artigos diversos doados pelos membros e o dinheiro arrecadado é destinado a compra de cestas básicas para famílias carentes. Em outra sala funciona uma escola de alfabetização para idosos. Há também um grupo que se reune todas as terças e quintas para dar apoio, com orações, a famílias que estão com problemas pessoais. “A missão fundamental da IBS é, sem dúvida, pregar o evangelho de Cristo, mas isto não nos desobriga da responsabilidade de ajudar aos necessitados, aos carentes, aos abandonados”, declara o pastor.

A igreja conta com a participação de muitos fiéis que colaboram nas obras sociais. “Sou uma crente que tenho muita fé em Deus, trabalho nesta igreja há 33 anos e acredito que, diante de tanta miséria, não podemos nos acomodar ou nos esconder sob um pretexto qualquer, para fugir à responsabilidade de fazer algo pelo próximo que, juntamente com a mensagem de Cristo Jesus, devemos levar ao povo baiano”, confessa Rilda Luz, secretária do pastor.

A coordenadora de Educação Religiosa, Arieta Martins, declara que a IBS tem uma visão voltada com muito empenho para a eficiência, dinamismo e atualização da Escola Bíblica Dominical se capacitando para poder competir com a tecnologia que o mundo oferece e com a qual desafia as famílias. “Temos procurado proporcionar meios de comunhão e sociabilidade na vida da igreja com estudos e lazer podendo assim influenciar positiva e sabiamente a sociedade”, afirma Arieta.
O missionário Cláudio Reis explica que uma das metas da IBS é viver em comunhão, ter famílias fortes, ter influência social e política, estudar e ensinar a Palavra de Deus e, sobretudo, buscar sempre estar aberta para mudar, sem, contudo, contrariar ou ferir os princípios bíblicos e a ética cristã. “A família é a base de tudo”, completa Cláudio.

Além de realizar cultos religiosos de segunda a domingo, suas atividades são voltadas também a formação de corais de adolescentes, crianças, senhoras e, principalmente o Coral Oficial da Igreja sob a direção da maestrina Abigail Carneiro. “É perceptível o agir de Deus, que se move de maneira sobrenatural, concedendo vitória após vitória para que a obra prossiga com êxito e prosperidade”, diz a integrante do coro El Shadday, Ádiva Sales 24 anos.

A participação dos jovens e adolescentes, incluindo estudantes universitários de diversas áreas que fazem parte de alguns trabalhos sociais é muito significativa. “É com alegria que constatamos o desenvolvimento de nossa igreja em todos os setores”, disse a estudante de direito Katarine Santana 21 anos. Segundo a maestrina o coral de adolescentes desempenha um papel importante na conversão da maioria dos jovens realizando, também, trabalhos para adquirir meios de arrecadar cestas básicas que são destinadas às famílias carentes.

A estudante de 19 anos, Elizabete Braga declara: “Foi assistindo um culto no qual o coral, Coro Jovem em Canto, se apresentava que aceitei Jesus como meu único salvador e hoje estou muito feliz”. A turista Ana Maria Clara, 22 anos, estudante da cidade de Alagoinhas que está localizada a 109 km a noroeste de Salvador, ressalta “Senti-me feliz em Sião, por verificar ser ela uma igreja de oração e que canta com muita alegria e fervor. No mundo de hoje no qual vivemos tantas aflições necessitamos de buscarmos cada vez mais o amor de Deus”. Afirma o pastor que ao longo dos anos a IBS tem conquistado seu público jovem com grande êxito.

A entidade filantrópica traz alguns marcos durante sua trajetória. Conta, Walter Batista, que durante muitos anos a IBS manteve na Rádio Sociedade da Bahia, um programa de ensinamento evangélico, que alcançou todo o estado do norte. Durante 25 anos, o batalhão evangélico participou dos desfiles do Dois de Julho, liderado pelo pastor Valdivio Coelho, que era membro do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Em outubro de 1977 o mesmo foi credenciado pelo jornal “A Tarde” para entrevistar o astronauta James B. Irwin, o primeiro homem a andar em um veículo na lua.

Outro acontecimento marcante para a entidade, lembra o pastor, foi ter a miss universo, Marta Vasconcelos, como paraninfa da primeira turma formada pela Escola de Domésticas pertencente a igreja. Walter recorda também, que o Hospital Evangélico da Bahia foi a realização de um velho sonho do pastor Valdívio, fundado em seis de janeiro de 1960 do qual foi presidente. “São 71 anos de dedicação ao Senhor Jesus, 71 anos bem vividos e passados debaixo das bênçãos de Cristo! A IBS agradece a Deus pelo Ministério de Educação Religiosa, pois sabemos da importância deste trabalho que proporciona à igreja solidez para enfrentar a vida com embasamento bíblico e, ainda mais, comportamento adequado nas diversas situações da vida. Nossa Sião abriga os famintos e sedentos que procuram a palavra de Deus”, diz Walter Batista.

A IBS vai comemorar seus 71 anos no período de 15 a 17 de abril de 2007. A secretária Rilda informa que com a participação da maioria dos membros a programação do aniversário constará de Conferências Bíblicas nesse período, contando com a presença do orador Rev. Hélio Lourenço da Silva, pastor da Igreja Batista Teosópolis, Itabuna –BA e o cantor evangélico Nani Azevedo. (maio de 2007)

 

Anúncios
Posted in: CIDADE